Bem Vindos ao blog da Manú. Este espaço é para os amigos, papais e mamães que perderam seus anjinhos!

domingo, 31 de outubro de 2010

Ai, que saudade de você!!!

Oi filha... tô sentindo tanto sua falta!
Quando olhos suas fotos, me dá uma vontade tão grande de pegar você no colo, de sentir o seu corpinho junto ao meu, sentir o seu calor, te fazer ninar!
É aquela mesma vontade que sentia quando você ainda estava viva, no hospital, dentro daquela incubadora. Eu te via ali, tão pequenina, indefesa... queria tanto poder pegar você no colo, mas não podia!

Essas lembranças me dão tanta saudade, porque fico pensando que eu poderia ter aproveitado mais esse tempo que eu tive com você. Queria ter passado 24hs por dia com você durante todos os dezoito dias em que você lutou para sobreviver. Me arrependo muito de não ter aproveitado esse tempo, mas talvez não o tenha feito porque tinha muita esperança e fé de que você, ou melhor, de que nós iríamos superar tudo aquilo, e que em breve você estaria em casa, no seio de sua familia. Mas infelizmente aconteceu de Deus te levar com ele, para se tornar um anjinho do Senhor.

Eu penso que pra você, isso tenha sido o melhor, mas como um ser humano que sou, egoísta, gostaria que Deus tivesse deixado você comigo. Mas quem sou eu? Sou apenas sua mãe, diante de quem sabe de todas as coisas... Deus!

Fique em paz meu amor, vou continuar sentindo muito a sua falta, por todos os dias de minha vida! Mamãe te ama, pra sempre!


"A vontade de Deus nunca irá levá-lo aonde a Graça de Deus não irá protegê-lo."

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Tudo vale a pena por um filho!

Já ouvi muitas mulheres reclamarem que a dor do parto é horrível, que é isso ou aquilo e que nunca mais querem ter outros filhos... no entanto, muitas dessas mesmas mulheres acabam tendo mais um, dois ou mais filhos, quer dizer, se o parto fosse realmente tão ruim ninguém mais teria filhos no mundo e, bem, até hoje nunca ouvi falar de alguma mulher que tenha morrido por causa da dor de um parto normal!

Pra mim, "tudo vale a pena por um filho". Até passar pela dor do parto, que deve ser mesmo muito ruim, mas acredito não ser o fim do mundo. Acho que pior que a dor de parto é a dor da perda deste mesmo filho, do qual queríamos muito que viesse ao mundo. Por um filho vale a pena fazer tudo, porque  ser mãe é assim, amar o filho imensamente, e estar disposta a fazer até mesmo o impossivel  pela sua felicidade, ser mãe é aprender a dividir a vida entrre os filhos, carreira, estudos, marido ou as atividades do lar, sempre deixando o amor materno em evidencia, ser mãe é querer proteger o filho sem super-proteção e amá-lo sem sufocá-lo, é querer que o filho se torne uma pessoa independente e segura, que saiba que tem uma mãe que o ama e que pode contar com ela sempre que precisar!


A partir do momento que decidimos ser mãe, temos que esquecer de nós mesmas e pensar somente neles, no que é melhor para eles, mas também não podemos nos anular, precisamos saber nos dividir em "mil", precisamo nos desdobrar para fazer tudo em nossas vidas, mas principalmente cuidar deles. Tudo que fizermos valerá a pena, se o que estiver em jogo é a felicidades dos nossos filhos.


Tudo vale a pena por um filho!

Texto em vermelho, escrito pela Mãe Rubia - retirado do site "E-family net"

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Hoje é um dia daqueles...

Oi filha, a mamãe tem se mantido forte, seguindo em frente conforme disse que faria, mas hoje é um dia daqueles em que o coração está mais apertado, que a saudade que sinto de você parece mais forte do que normalmente e a vontade de ter você comigo....

Seus primos Miguel e Henrique já estão para nascer, era para você estar aqui celebrando mais essas novas chegadas com a gente, assim como a sua chegada foi muito comemorada por todos nós, mesmo diante da situação que aconteceu!

O Samuel, seu amiguinho nasceu a quase um mês. Ele é lindo, um fofuxo... tenho certeza de que vocês seriam ótimos amigos, assim como eu e a mãe dele (Paty) somos até hoje.
Todos os bebês que iriam nascer junto com você já estão nascendo, e graças a Deus, estão todos bem!
Você veio antes deles e infelizmente partiu antes também.... partiu antes da sua mãe, deixando-me aqui com um vazio no peito, na alma e nos braços, que era o lugar pra você estar agora!

Mas mesmo que em pensamento, eu sinto você nos meus braços, tento sentir o seu cheiro, imaginar o seu choro, o seu sorriso... Sinto muito sua falta minha querida filha. Eu te amo muito, nunca se esqueça... e o papai também te ama, assim como seus avós e todos de nossa familia.

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

(¯`·._.·[Te amo]·._.·´¯)

Oi filha, hoje eu só queria te dizer que TE AMO!

Eu te amo tanto... tanto, que esse amor não caberia nesse mundo, pois o mundo é pequeno demais perto do amor que sinto por você!
Esse amor que se transforma em saudade, todo o tempo que lembro de você, ou seja, saudade que dura vinte e quatro horas por dia...
Acho que é esse amor que me mantém de pé, que me dá forças pra continuar, pra seguir em frente, pra achar que a vida deve continuar, mesmo que sem você por perto.
Esse amor que me diz que pra sempre você estará ao meu lado, que nunca me abandonou e nunca vai me abandonar, que nunca vou estar sozinha.

Eu só quero dizer que te amo, minha estrelinha, meu anjinho, meu amor, minha vida, razão do meu viver!
Eu te amo e pra todo o sempre irei te amar, incondicionalmente... Meu amor por você é sem fronteiras, sem limites, sem barreiras... É AMOR DE MÃE!

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Visitando meu anjinho



Hoje, a mamãe e o papai foram visitar nosso anjinho no cemitéro.
Falando assim, até parece que é uma tarefa fácil.... como se fosse um passeio, uma distração..., mas não é! Quer dizer, eu tomo isso como um ritual, ou seja, pra mim ir ao cemitério me faz sentir mais próxima da minha filha. Eu sei que o que está ali é somente um corpo... um pequenino corpinho, mas mesmo assim, só de pensar que ali se encontra minha filhinha amada eu sinto estar perto dela, mesmo não podendo vê-la, tocá-la, enfim...

A mamãe já não consegue mais chorar... não sei se isso é bom ou ruim (pra mim), porque pra você eu tenho certeza de que só faz bem a mamãe não chorar, não ficar triste!
Não que eu não sofra mais, que não doa ou machuque, é claro que dói, e essa dor será eterna. Mas ela é como um machucado bem profundo que, apesar de criar uma casca para tentar fechar, a qualquer toque mesmo que de leve já volta a sangrar, a doer e ainda que venha a cicatrizar a marca que fica é bem profunda e visivel!

Bem, voltando à visita ao cemitério, nós limpamos a sepultura retirando as flores que já estavam secas, colocamos flores e também um lindo bonsai, que o papai comprou especialmente pra você, meu amor.
Ficamos ali por um bom tempo... ahhi a saudade é tanta de você! Imagine como seria estar nós três juntos!!! Seriamos muito felizes...

Com o tempo, iremos arrumar melhor sua sepultura, para ficar bem bonitinha lá! Com gramado, flores, a pedra com sua foto... quero poder fazer alguma coisa legal pra você, já que não pude fazer enquanto estava comigo...
Muitas pessoas podem achar que isso é besteira, que é gastar dinheiro á toa, mas pra mim não... eu me sinto muito bem fazendo estas coisas e sei que lá de cima minha Manuela também está gostando!

sábado, 23 de outubro de 2010

Pessoas queridas

Há uns dois dias atras estava deitada, tinha perdido o sono, daí comecei a pensar em várias coisas, inclusive no tempo, na idade, em tornar-se "velho", enfim... todos esses pensamentos me fizeram recordar de pessoas queridas, pessoas que já não estão mais entre nós, e que fazem uma falta imensa, como por exemplo meus avós maternos, Manuel (o vô Manú) e a vó Neuza, minha avó paterna vó Ercilia, entre outras pessoas que amo muito mas que infelizmente não se encontram mais neste plano.

Fiquei lembrando deles, sentindo muita falta de todos... lembrando de como era meu vô Manú, que me lembro muito pouco dele pois se foi há 16 anos, eu era uma criança que mal sabia direito o que significava o que era morrer; lembrando da minha vó Neuza, que era uma pessoa muito engraçada, uma pessoa que eu era muito apegada quando criança... ela se foi há quase 10 anos, gostava muito dela; e também a minha outra vó chamada Ercilia, que também era muito engraçada, era um pouco brava de vez em quando, mas que tinha um ótimo coração. Ela se foi recentemente, no ano passado. Eu me apeguei muito à ela depois que minha vó Neuza morreu.

Hoje eu só tenho meu vô paterno chamado Sebastião, o vô Tião, que graças a Deus ainda se encontra entre nós e se Deus quiser ainda vai ficar conosco um bom tempo, mesmo ele já estando na casa dos 80 anos!

Por que estou falando tudo isso, lembrando dessas pessoas tão especiais? Porque depois que todos estas recordações vieram na minha mente, me fez lembrar também da minha pequena Manú que hoje está no céu, com todas estas pessoas, então comecei a indagar se realmente existe vida depois da morte, quer dizer, se há um lugar onde eles ficam, a vida expiritual, os seres de luz desencarnados.

Independente de qualquer religião e do que cada uma fala, fico imaginando se todos eles estão juntos lá em cima, se eles se re-encontraram depois da morte... se minha querida filha está realmente com eles? Normalmente procuro não ficar pensando nessas coisas, mas é inevitavel que as vezes este tipo de pensamento venha em nossas cabeças.

Bem, não sei dessas repostas, prefiro imaginar que sim, todos eles estão juntos, felizes e olhando por nós que ficamos aqui, sentindo tanta falta deles. E o que me conforta, em relação à minha filha, é que ela é um anjinho de Deus, e isso eu nunca vou ter dúvidas!

Sinto falta de todos vocês, meus entes queridos, inclusive dos que não citei nesta mensagem e principalmente de você, minha querida filha Manuela.

Amo vocês!

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Queria te ver, pelo menos em sonhos!

Desde que você se foi, só posso te ver através de fotos e através de suas lembranças em minha mente, mas queria poder te sentir mais de perto, como se você ainda estivesse perto de mim.
Nunca consegui sonhar com você, nenhuma vez! Queria tanto que isso acontecesse...

Acho que essa dádiva são para poucos... sonhar com seus anjinhos! Ainda aguardo por esse dia.
Sonhar com você, te pegar no colo, te proteger, acariciar seu rosto, seus cabelinhos que pareciam feitos de seda... tocar suas mãozinhas, tão lindas. Queria ter certeza de que você está bem, que está feliz... brincando com seus aminguinhos, que também são anjinhos, assim como você!

Acho que assim poderia sentir que você está comigo, sempre ao meu lado. Eu sei que você está, sempre, mas gostaria de sentir isso, como se eu pudesse realmente te ver e te tocar... só em sonhos isso é possivel.

Por enquanto só posso ficar aguardando o dia que isso vai acontecer... enquanto não acontece, vou ficar desejando ter você de novo em meus braços, porque sei que um dia vou te re-encontrar e ficaremos juntas para sempre!

Mamãe e papai te ama de mais minha querida... nunca vamos te esquecer!

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Mensagem para as mamães que tem filhos na terra e um anjinho no céu!


Escrito por Cecylia - Retirado do blog "Perdi Meu Bebê"

Mamãe imagine que você tem um lindo jardim com rosas de todas as cores, e neste jardim tinha um botão de rosa especial prontinho para desabrochar que você estava cuidando com todo amor e carinho. Um dia você olha no jardim e não vê mais o seu pequeno botão de rosa, pois alguém o levou deixando somente o talo cheio de espinhos. Com ele foi embora o sonho de poder sentir o seu perfume, de poder tocar em suas pétalas e de apreciar a sua beleza.
É o que acontece quando estamos grávidas, levamos em nosso ventre o nosso bebezinho querido, não vemos à hora dele nascer, de poder sentir o seu cheirinho, de poder tocar em sua pele e poder sentir o prazer de ser mãe novamente. Mas um dia sem esperarmos, nossos sonhos simplesmente acabam, pois o coraçãozinho do nosso bebe para de bater, e assim como no botão de rosa ficamos apenas com os espinhos, com toda dor, tristeza e sofrimento por ter perdido nossos anjinhos.
A incompreensão toma conta da nossa vida, ficamos imaginando quem poderia ter levado nosso bebe, porque teriam levado, porque não deixarão este botão de rosa desabrochar nos impedindo de ver a sua beleza. Mas nos esquecemos que existe um Jardineiro acima de nós, que zela por este jardim muito mais do que a gente, Deus é o dono de todas as rosas e não precisa da nossa permissão para poder colher qualquer rosa deste jardim, pois os filhos não nos pertence são herança do Senhor.
Não julgue o grande jardineiro mamãe, porque Ele sabe onde deve podar, quando podar, e quando deve nascer uma nova rosa em nosso jardim.
Mesmo diante de toda tristeza não podemos deixar que as outras rosas do nosso jardim morram, porque perdemos o nosso botãozinho de rosa que estava pronto para desabrochar. As outras rosas que estão em nosso jardim “Nossos filhos, nosso marido, nossa família”, precisam ainda do nosso amor, do nosso carinho, e da nossa atenção, precisamos continuar adubando está terra, e regando com esperança para que possam nascer flores mais lindas ainda do que a que perdemos.
Mamãe Deus não arrancou a sua raiz, você ainda poderá ter outros filhos, permita-se ser feliz novamente, arranque todas as ervas daninhas, como a raiva, a revolta, e confie em Deus, pois logo o grande jardineiro semeará novamente em sua vida, paz, alegria e força para você não desistir de seus sonhos.

A dor da Perda

Escrito por Leticia Thompson - Retirado do Blog "Colonias Espirituais" 

É um caminho inevitável. Temos todos, um dia ou outro, de uma forma ou de outra (e geralmente de várias formas mesmo), que viver isso. Não porque é uma fatalidade do destino, mas porque faz parte da vida. E cada um de nós vive, mesmo se de maneira dolorosa igual, de um jeito diferente as diferentes perdas pelas quais temos que atravessar.A pior de todas, é quando alguém que a gente ama morre. Esse é um sentimento de perda irreparável. Um amigo não vale pelo outro, um irmão não vale pelo outro e nada no mundo poderá substituir nossos pais. Tenho uma amiga sábia que diz que "nunca somos velhos o suficiente para ficarmos órfãos." E ela tem razão. E mesmo se o tempo aplaca essa dor, sempre vai ficar dentro da gente aquele sentimento indecifrável de vazio. É a idéia do "nunca mais ver" que dói mais. E quando esta se une à idéia de não termos feito algo mais, não termos dito algo mais, ainda é pior.Outra dor de perda é quando a pessoa que se ama se vai. Nesse caso existe uma mistura de dor de orgulho e dor de medo de se ficar sozinho, muitas vezes porque o que existia não era realmente amor, mas uma dependência emocional do outro. Dor de orgulho, porque ninguém nessa vida foi feito pra perder. Dor de ter sido deixado, dor de rejeição, que chega a doer até fisicamente. Não adianta dizer nesse momento que "quando se perde um ônibus vem dez atrás", porque a pessoa vai te dizer que o que perdeu era justamente aquele que queria. Mas quando o tempo cura essa ferida (e o tempo cura todas as feridas!) e o coração começa a bater mais forte por outra pessoa, aí então a gente esquece. E ninguém precisa ter medo de ficar sozinho, pois só vai ficar sozinho quem não se abrir a novas possibilidades.
E com isso tudo, o que é preciso mesmo é que aprendamos o sentimento de aceitação. Não passiva, de se deixar levar. Mas aquela de quando se sabe que vai se viver o inevitável, de viver isso da melhor maneira possível. Nenhum de nós está preparado pra isso, mas sabemos que é a vida.
E não deixar que a dor do orgulho possa impedir que vivamos, isso é importante. Alguém me contou recentemente que sofreu dois anos por ter perdido um amor e depois é que reconheceu que o sofrimento não era realmente de amor, mas do orgulho de ter sido deixado. Uma vez reconhecido isso, ele deu um passo à frente e encontrou aquela que hoje em dia é sua esposa, que portanto já fazia parte do grupo que conhecia e freqüentava. É preciso muita sabedoria para se tirar a venda do orgulho dos olhos.
Fazer com que os que amamos saibam disso é uma maneira de se preparar a viver diferente a perda, se esta se der. É preciso dar de si mesmo enquanto se pode. É preciso evitar o "ah, se eu soubesse" e "ah, se eu pudesse voltar" do futuro. É preciso oferecer flores enquanto se pode vê-las e senti-las.
Se você gosta de alguém, diga, demonstre. Nem todo mundo sabe adivinhar. Transforme em gestos e palavras tudo aquilo quese passa no seu coração.
Vive muito melhor dor de perda quem sabe que fez a sua parte. Ainda vai doer, mas de maneira bem diferente.

Mensagem ao sentimento de perda

Autor Desconhecido - Retirado do blog "Versatil e Atual"

Caro Sentimento de Perda,

Quando você vier, peço que seja tranqüilo e brando.
Não me faça entrar em desespero, pois tenho que lidar com o que perdi, com o que ficou, comigo e com você.Peço também para que não seja vazio e sem sentido, de tal maneira que, mesmo que sua presença seja algo negativo, eu possa colher algo que me faça amadurecer nesse estado ressentido. Venha, e quando vier, faça-me sentir que perdi apenas o que realmente foi embora, e não todas as milhares de coisas ao meu redor que me fazem ter motivos para viver. Já que você tem que vir, que me morda e me assopre, não me faça afogar em lágrimas e nem me sufocar no meu amor-próprio, mas sim a noção de que as coisas vão e vêm, e que nenhuma Vida é um caminho de terra trilhado no meio dos campos verdejantes, e sim asfalto esburacado no meio de uma cidade barulhenta e cheia de curvas.Ao invés de me prender à coisa perdida, venha e me traga a Liberdade daqueles que amam puramente, sem egoísmo e com olhares gauché sobre tudo que já foi embora, prezando apenas pelo bem-estar dos que ficaram e de mim mesmo.
Enfim, queridíssimo Sentimento de Perda, seja Divino, e não Humano.


terça-feira, 19 de outubro de 2010

19 de outubro de 2010 - era pra você estar nascendo hoje

Essa é a data que o médico havia dado para o nascimento da minha filha Manuela, dia 19 de outubro.
Me imagino estar muito anciosa, talves com medo e muito impaciente para ter minha princesa no meu colo. Fico imaginando muitas coisas, e principalmente, imagino que ela nasceria bem, com vida, com saude, que não aconteceria tudo o que aconteceu comigo e com ela, e que enfim, fariamos uma linda famila... ela, eu e o pai dela. Infelizmente nada disso aconteceu...
Meu bebê nasceu a dois meses atrás, de sete meses, e infelizmente faleceu!
Vejo outras mulheres que engravidaram na mesma época que eu, e seus bebês estão começando a nascer, todos bem, graças a Deus... mas ainda me questiono, por que Senhor? Por que a minha estrelinha não nasceu no tempo certo também? Por que ela não está viva hoje comigo? Será que neste exato momento ela já teria nascido, ou eu já estaria sentindo as dores? Como seria se tudo tivesse ocorrido no seu tempo certo? Por que isso aconteceu só comigo? (Não é querendo que tivesse acontecido com as outras gravidas não), mas já que não ocorreu também com elas, por que tinha que acontecer comigo?
Essas respostas jamais vou ter... E esses questionamentos sempre ficarão na minha mente, me matando por dentro, me perturbando, me corroendo!

Só posso ficar é imaginando como seria, como ela estaria se estivesse aqui hoje. Como seria seu sorriso, sua feição, qual seria a primeira palavra que ela aprenderia, os seus primeiros passinhos... Imaginando a minha preocupação quando ela ficasse doentinha. Como seria quando ela completasse um aninho de idade, como seria ela na escolinha, na faculdade... Imagina então, quando ela aparecesse com seu primeiro namorado? Nossa..., meu Deus, como seria tudo isso?

Eu posso ainda passar por tudo isso, com outros filhos, mas nunca... nunca vai ser igual ou a mesma coisa, porque não será com ela, minha querida Manuela. E o que posso fazer daqui pra frente é só ficar imaginando, imaginando...

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

18 de Outubro, hoje você faria 2 meses de vida!

Parece que foi ontem que você nasceu. Ao mesmo tempo parece que faz tanto tempo que você se foi e me deixou aqui, sem você! Já se passaram dois meses e fico imaginando como seria se você estivesse comigo. Como você seria, com quem se pareceria...!
Será que você estaria dando trabalho, chorando a noite toda, querendo "mamar", sem desgrudar do meu peito nem por um minuto. Será que você seria quietinha, comportada, dorminhoca igual ao seu pai! Será que você estaria gordinha, bochechuda, cabeluda... E suas roupinhas... são tantas que teria que pôr em você pelo menos umas três por dia!

Imagino tantas coisas... tento buscar em minha mente algo que nunca foi e nunca será, porque você não está mais aqui e as únicas lembranças que tenho de ti são aquelas dentro de um hospital, cheia de aparelhos, por isso a minha mente fica te desenhando, tentando imaginar como você seria. A saudade é imensa, sem fim!

Essa semana você faria dois meses se estivesse viva, mas essa semana também seria para você estar nascendo, se não tivesse acontecido tudo o que aconteceu, e você estaria bem, porque nasceria no tempo certo, e em breve estaria nos meus braços e de toda nossa familia. Sinto tanta falta do meu barrigão... de ter você aqui dentro de mim, mas tenho certeza de que eu estaria super anciosa pra que você nascesse logo...
Eu esperei tanto por isso, e você veio mais cedo do que o previsto, e se foi muito mais cedo do que eu poderia imaginar.

Eu te amo tanto, filha... como queria ter você comigo agora! Fico esperando o dia em que vou te re-encontrar e então ficaremos juntas para sempre!

A musica abaixo é linda, e é assim que me sinto...


Fico Assim Sem Você - Claudinho e Buchecha

Avião sem asa,
Fogueira sem brasa,
Sou eu assim, sem você
Futebol sem bola,
Piu-piu sem Frajola,
Sou eu assim, sem você...



Porque é que tem que ser assim?
Se o meu desejo não tem fim
Eu te quero a todo instante
Nem mil auto-falantes
Vão poder falar por mim...



Amor sem beijinho,
Buchecha sem Claudinho,
Sou eu assim sem você
Circo sem palhaço,
Namoro sem abraço,
Sou eu assim sem você...



Tô louco prá te ver chegar
Tô louco prá te ter nas mãos
Deitar no teu abraço
Retomar o pedaço
Que falta no meu coração...


Eu não existo longe de você
E a solidão é o meu pior castigo
Eu conto as horas pra poder te ver,
Mas o relógio tá de mal comigo...

Eu não existo longe de você
E a solidão é o meu pior castigo
Eu conto as horas pra poder te ver,
Mas o relógio tá de mal comigo

Por que? Por que?


Neném sem chupeta,
Romeu sem Julieta,
Sou eu assim, sem você
Carro sem estrada,
Queijo sem goiabada,



Porque é que tem que ser assim?
Se o meu desejo não tem fim
Eu te quero a todo instante
Nem mil auto-falantes
Vão poder falar por mim...



Eu não existo longe de você
E a solidão é o meu pior castigo
Eu conto as horas prá poder te ver,
Mas o relógio tá de mal comigo...

Por que? Por que?

domingo, 17 de outubro de 2010

Amor incondicional... é o que sinto por você meu anjinho!

Autor Desconhecido - Retirado do site "Mensagens Virtuais".

Amor Incondicional

Tantos tipos de amor tenho visto por aí. Amores fracos, desnutridos de coragem; amores fortes, que atravessam muitas barreiras, mas que em certo momento tropeçam numa pequena pedra, caem e não conseguem mais se levantar.
De tantos e todos os tipos de amor que conheci, houve um que jamais esquecerei: o amor incondicional, aquele que existe apesar de, e que atravessa qualquer tipo de tempestade, tropeça em muitos obstáculos e mesmo assim não deixa de existir; não altera a sua rota, não diminui a sua dimensão, não perde o seu peso, não permite que o seu brilho seja ofuscado.
Só ama incondicionalmente quem é possuidor de uma alma grande, e esse tipo de alma normalmente é acompanhada de um espírito de luz.
Amar assim é não viver subjugado a "mas..." e "poréns...", é não ter critérios para doar esse amor, é não exigir troca e abrir mão de reciprocidade.
Quando se ama incondicionalmente tem um espaço dentro do cérebro que fica reservado em definitivo para que nas vinte e quatro horas do dia o pensamento não se afaste do objeto desse amor. Já no coração, não existe um espaço designado para guardá-lo, porque ele é todo esse amor, vivenciado e sentido enquanto ele bater.
Amor incondicional não tem orgulho de nenhuma espécie. Não se envaidece de sua capacidade, nem de sua força, não tem necessidade de alardear a sua existência, nem demonstrar o seu imenso universo, ele é simplesmente um amor humilde, puro e despretensioso e justo por isso se torna grandioso.
Corações que vivem esse tipo de amor, são generosos, eternos, mesmo depois que param de bater, são sublimes e por isso conseguem guardar dentro deles tanta ternura.
Amor incondicional não faz de conta que é, não se obriga a desistir de si mesmo, não precisa viver de fantasias, nem andar travestido de ilusões para prosseguir o seu caminho.
Esse amor do qual estou falando é por si só inteiro, não agoniza e muitas vezes inexiste aos olhos dos outros, mas quem ama incondicionalmente, sabe a receita exata de como vivê-lo sem dores.
Felizes daqueles que despertam essa maneira de amar em alguém, esses sim, têm motivos de sobra para se orgulhar por terem conseguido atingir de forma tão especial um coração carregado do mais puro dos sentimentos.
Amor se torna incondicional quando ele já se acomodou dentro do peito, já se conformou com a estrada que terá que percorrer e já não há mais possibilidade de derrapar em nenhuma curva desse caminho, nem ser atropelado por qualquer dúvida. É quando também, o que ficou para trás já não importa e o que está por vir não vai mudar nada.
O amor incondicional é aquele que doa o melhor de si, mesmo que esteja recebendo o pior de alguém, porque ele não depende de ser querido, nem de ser aceito e não esmorece se for ignorado.
Esse amor é daqueles amores que no passado já sangraram muito, latejaram, abriram enormes feridas, mas que ainda assim não deixaram marcas nem cicatrizes, porque a partir daí, resplandeceram e passaram a viver em eterno estado de graça até o instante que se eternizaram.
Há quem diga que o amor incondicional é masoquista, isso não é verdade, esse tipo de amor é o inútil. O amor inútil sim, alimenta-se de sofrimento, resiste a tudo com esperanças de alcançar o seu objetivo, que já ficou bem claro, não será conquistado. O amor inútil é aquele que já foi embora mas saiu tão mansamente que nem deixou que percebessem sua partida, ao contrário do incondicional, que se instalou dentro de alguém e não pretende procurar a saída.
O amor incondicional não corre atrás de sonhos impossíveis, não precisa disso. Ele já é maduro, há muito deixou de ser adolescente, e envelhecer também não está nos seus planos, porque o amor que se torna velho, é um amor cansado, desgastado, exaurido. Já o incondicional é e sempre será, ativo, independente, coerente, auto-suficiente, porque se reserva o direito de ser solitário e ainda assim completo e realizado, porque reside nele a certeza de sua inocência, pureza e sinceridade.
Existe um encontro marcado entre o amor incondicional, a glória e o esplendor em algum canto do mundo, em algum instante da vida ou em algum momento após a morte, mas ele não conta os dias para isso, nem sequer consulta o relógio, embora para ele, o momento desse encontro seja a grande magia da sua existência.
Amor incondicional é de uma elegância imensurável, de uma postura invejável e de uma personalidade única.
Felizes daqueles que são merecedores de serem amados incondicionalmente e mais felizes ainda, aqueles que se permitem amar assim, porque são eles os grandes heróis da vida.
Infelizes daqueles que não conseguem perceber quando despertam esse tipo de amor, que não têm a sensibilidade de sentí-lo ao seu redor e valorizá-lo independente do que podem oferecer a ele.
Amar incondicionalmente é uma arte.
Ser amado assim, um presente divino.



sábado, 16 de outubro de 2010

um presentinho para o papai

Filha, papai também sente muito a sua falta. Ele não demonstra, ele quer ser forte, ou tenta ser forte pra me ajudar, pois temos que nos apoiar um no outro pra poder superar esse momento e conseguir seguir em frente!

Nunca vou esquecer o dia de seu enterro, em que ele levando seu pequeno caixão nas mãos, chorou... chorou como nunca o vi chorar antes... ali pude ver e sentir a dor que ele sentia e que nunca demonstrava.
Foi muito triste aquele momento, continua sendo até hoje, mas estamos seguindo em frente... sem você!

Mas é sem você fisicamente, porque você está e sempre estará em nossos pensamentos, em nossas orações... em nossos corações!
Nós te amamos filha, como nunca iremos amar mais ninguém neste mundo!

Mamãe fez essa pequena lembrançinha para dar ao papai, que é palmeirense, e que tenho certeza de que iria tentar fazer com que você também fosse... mas a mamãe não iria deixar, né!? Vou revelar e colocar nun lindo quadro, pra ele poder te olhar sempre que quiser.

Te amamos muito, meu amor!



terça-feira, 12 de outubro de 2010

Feliz Dia das Crianças meu Amor... da sua "Mãe órfã"

"Deveria existir uma lei que dissesse: Nenhum filho poderá morrer antes que sua mãe, independente de ser uma criança, um jovem, ou uma pessoa adulta."
*Postado Por Mailu, retirado do Blog "Devaneios-Marilu".

Hoje é um dia que se deve ser ou deveria ser comemorado... é dia 12 de Outubro, dia de Nossa Senhora de Aparecida, e também é o Dia das Crianças.

Dia este que muitos pais saem com seus queridos filhos para passearem, para almoçarem fora, lhes dão muitos presentes... enfim, um dia de muita alegria para esses pequeninos que, com pequenos gestos de amor se iluminam como anjos.

Mas para mim, esse é mais um dia de dor, de tristeza sem fim, porque é mais uma data que passo sem meu pequeno anjinho, minha querida filha Manuela.
Quanta alegria seria ter ela hoje aqui comigo, quanto carinho, quantos mimos seriam dados a este anjo que hoje habita o Reino de Deus, no céu.

De onde quer que você esteja, te desejo muita paz e muita luz e um Feliz Dia das Crianças.
Você é meu anjo de luz, a alegria de toda minha existencia... pra sempre vou te amar!

Nossa Senhora de Aparecida

Intercedei junto à Deus por nós, mães orfãos de seus queridos filhos, que hoje são anjos do Senhor!

Recado Para Orkut - Dia de Nossa Senhora Aparecida: 7

domingo, 10 de outubro de 2010

Essa musica é dedicada à você... minha querida Manuela Vitória

Conquistando o impossivel - Jamily
Composição: Jamily

Acredite é hora de vencer
Essa força vem
De dentro de você
Você pode
Até tocar o céu se crer...

Acredite que nenhum de nós
Já nasceu com jeito
Prá super-herói
Nossos sonhos
A gente é quem constrói..

É vencendo os limites
Escalando as fortalezas
Conquistando o impossível
Pela fé...


Campeão, vencedor
Deus dá asas, faz teu vôo
Campeão, vencedor
Essa fé que te faz imbatível
Te mostra o teu valor...


Acredite que nenhum de nós
Já nasceu com jeito
Prá super-herói
Nossos sonhos
A gente é quem constrói..

É vencendo os limites
Escalando as fortalezas
Conquistando o impossível
Pela fé...


Campeão, vencedor
Deus dá asas, faz teu vôo
Campeão, vencedor
Essa fé que te faz imbatível
Te mostra o teu valor...


Tantos recordes
Você pode quebrar
As barreiras
Você pode ultrapassar
E vencer...


Campeão, vencedor
Deus dá asas, faz teu vôo
Campeão, vencedor
Essa fé que te faz imbatível
Te mostra o teu valor...

Só dói quando eu penso***

Dói...
Quando eu penso que você esteve aqui, dentro de mim.
Dói, quando eu penso que você mexia, chutava minha barriga pra me lembrar que eu não estava sozinha, toda vez que eu me sentia sozinha! E então eu ficava alegre...

Dói pensar que eu não tive tempo para te dar todo o amor que tenho dentro de mim, o carinho e os ensinamentos que toda mãe deseja dar e passar para seus filhos.
Dói ver outras mães com seus filhos que acabaram de nascer, em seus braços, amamentando, cuidando...
Dói não ter mais você aqui comigo!

Se só dói quando eu penso, o que fazer se eu penso em você o tempo todo? Penso no pouco tempo em que ficamos juntas, mesmo estando separadas.
Isso só quer dizer que... Dói o tempo todo...

sábado, 9 de outubro de 2010

Eu sinto saudades...

Autor Desconhecido - Retirado do site: http://www.tipos.com.br/areas/pati/blog/2007/03/05/eu-sinto-saudades-1260929/
"Eu sinto saudades. Coisa estranha essa tal de saudade. Você não vê, não pega, mas ela está ali. Saudade dói. Dói forte. É como se alguém estivesse apertando o seu coração; estrangulando-o. É uma dor imaterial. Não dá pra fazer curativos. Mas há consistência neste imaterial. Eu sinto saudade dos sonhos. Do cheiro. Do gosto. Das carícias trocadas. De tudo que poderia ter sido. Não foi. Eu sinto saudade das palavras doces. Do olhar carinhoso. Dos planos loucos. Eu sinto saudade também do que não existiu. Queria tanto que tivesse existido. Mas não houve. Eu sinto saudades. Ela mora em mim. Um dia pára de doer. Ela está começando a ir embora. E eu já sinto saudades."

Sou uma grande mulher... sou(fui)Mãe

Autor Desconhecido - Retirado do perfil do Orkut de "Paula e Anny Beatriz"

"Quando um bebê decide vir ao mundo, nasce com ele uma mamãe.
Uma mãe é mãe desde o primeiro instante. Mesmo quando a vida ainda é um minúsculo ser implantado no ventre, a gente já é mãe do coração. Todo nosso pensamento, todo nosso cuidado se volta para esse serzinho que, tão minúsculo, já provoca emoções tão grandes.
A simples descoberta já nos traz um turbilhão de emoções inexplicáveis.
A vida nunca mais vai ser a mesma. E nos perguntamos: "será que vou ser uma boa mãe?" "Será que vou saber cuidar do meu bebê?"
Mas uma mãe não nasce mãe e não aprende a ser em escolas. Uma mãe é e isso basta. Mãe sente, mãe adivinha, mãe aprende sofrendo, mãe sofre aprendendo.
Benditas são as mulheres! Se elas suportam uma das maiores dores, sentem sem dúvida a maior das felicidades. Uma mulher grávida é sempre algo sublime, ela tem algo de anjo e santo, uma aura invisível que reflete e ilumina seu rosto. Ela carrega nela a vida, um pedacinho dela mesma que vai um dia ter vida própria e isso é maravilhoso e assustador ao mesmo tempo.
Deve ser por isso que nos tornamos tão emotivas e choramos tão facilmente. Deve ser essa a razão de querermos estar satisfeitas em todos os nossos desejos.
Que a gravidez não é uma doença é verdade. Mas que não digam que é normal e que a pessoa pode viver normalmente, pois isso não é verdade. Todo o equilíbrio físico, psicológico e emocional fica balançado.
Há ainda hoje civilizações onde as mulheres grávidas são tratadas como seres especiais e divinos.
Mãe que está descobrindo as alegrias da maternidade agora, deixa eu te dizer uma coisa: se você tem medo de não saber o suficiente para ensinar ao seu bebê os caminhos da vida, saiba que é com ele que você vai aprender a trilhar muitos desses caminhos. Viva a sua gravidez em todos os seus instantes e não se preocupe se está fazendo ou se fará as coisas certas ou erradas. Seu coração vai te ditar, confie nele! Aproveite ao máximo cada segundo, pois cada momento é único e esse privilégio não é dado a todos. Fale com seu bebê, faça carinho e muito mais..."


sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Anjinho de Deus

Autora: Elian Maria Bantim Sousa - Retirada do site "Recanto das Letras"

"MANUELA" - ANJINHO DE DEUS

Uma linda menina nasceu
Da Terra ao Céu floresceu
Recepcionada pelos anjos
Reverenciada pelos arcanjos

O Céu em festa aplaudiu
A linda menina que surgiu
Rosto angelical sem par
Para o coração de Deus alegrar

Fica em teu lar, pequena "Manuelinha"
Aguardando os teus com alegria
Que um dia a saudade irão sanar
Olhar teu semblante e te apreciar
E no colo ternamente te acalentar.

Uma musica muito linda, que sempre me tocou profundamente

Vento no Litorial (Lagião Urbana)
Composição: Renato Russo


De tarde quero descansar
Chegar até a praia e ver
Se o vento ainda esta forte
E vai, ser bom subir nas pedras

Sei que faço isso pra esquecer
Eu deixo a onda me acertar
E o vento vai levando
Tudo embora...


Agora está tão longe
ver a linha do horizonte me distrai
Dos nossos planos é que tenho mais saudade
Quando olhávamos juntos
Na mesma direção
Aonde está você agora
Alem de aqui dentro de mim...


Agimos certo sem querer
Foi só o tempo que errou
Vai ser difícil sem você
Porque você esta comigo
O tempo todo

E quando vejo o mar
Existe algo que diz
Que a vida continua
E se entregar é uma bobagem...


Já que você não está aqui
O que posso fazer
É cuidar de mim
Quero ser feliz ao menos,
Lembra que o plano
Era ficarmos bem...

Eieieieiei!
Olha só o que eu achei
Humrun
Cavalos-marinhos...


Sei que faço isso
Pra esquecer
Eu deixo a onda me acertar
E o vento vai levando
Tudo embora...


#Vai ser dificil sem você...

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Por que?

As dúvidas e questionamentos continuam a martelar minha mente! São muitos os por ques e nehuma resposta.

Por que isso tudo aconteceu?
Por que comigo?
Por que ela não está aqui agora?
Por que Deus não deixou ela comigo?
Por que o coração dela era tão fraquinho, se no pre natal batia tão forte?
O que eu fiz de errado?
Como ela seria e com quem pareceria?
Se não tivesse tido pressão alta, teria sido diferente?
Por que? Por que? Por que...

Acho que nunca vou saber essas respostas! Por mais que eu tente achar explicações para o que aconteceu, e mesmo que eu as encontre não vai adiantar, porque nada vai trazer ela de volta.
Esses questionamentos me surgem, assim do nada, e faz com que as vezes eu me revolte, mas logo meu coração se acalma, se tranquiliza... Não sei como, ou o porquê... Por que?
Acho que é ela perto de mim, confortando meu coração. Essa força que tenho, me é desconhecida... não sabia que a tinha. Talves não a tenho, mas Deus e meu anjinho agem em mim, para que eu possar seguir em frente, seja como for!

As duvidas e questionamentos me acompanharão pro resto da minha vida. O que me resta agora é viver...

"Deus, guardai meu anjinho junto a ti e lhe dê a felicidade e o amor que tanto quis dar a ela"
Te amo muito meu amor!

Perder um filho...

Escrito por Mamãe Sonia, do blog "Meu anjo Bruno"
"Perder um filho...
É como acordar e ver que tudo não passou de um sonho;
É como voltar de marcha ré todo o caminho já percorrido;
E ter que acostumar a viver sem ela...

É voltar a ser uma pessoa “comum” depois de um tempo se sentindo “especial”;
É ter que esperar passar o tempo para se sentir melhor;
É sentir que tudo ficou sem graça;
É saber que isso acontece com muitas pessoas,
Mas não sentir alivio por não estar sozinha!

É sentir solidão porque já havia se acostumado em vê-la todos os dias;
É procurar entender o motivo da perda, mesmo sabendo que no momento não consegue entender...
É ter acreditado que comigo jamais aconteceria isso,
E descobrir que este sentimento de proteção que nós mães temos, não existe...
Nossos filhos na verdade não são nossos!

É conhecer mulheres que engravidaram na mesma época que a gente e ver seus filhos lindos e saudáveis,
E o seu já não está mais ali;
É sofrer sozinha, apesar do apoio da família e dos amigos;
É ter que encarar de frente a sensação de incompetência;
É exercitar a paciência para esperar o que Deus tem reservado para nós...
É sorrir..."

A dor da "mãe órfã"

Escrito pela mamãe Thais, retirado do site "Meu anjo de luz"

"Para a morte de um filho não há cura, tratamento, nem alívio para a dor. A morte de um filho faz sofrer o coração até o fim. Fim que não chega nunca. Morre-se um pouco todos os dias. Enlouquece-se de dor, sem se perder a razão.
Dizem que mãe não deveria chorar a morte do filho, mas a dor desta perda é um pranto sem lágrimas, um lamento silencioso.

Um verso de Chico Buarque diz que “a saudade é arrumar o quarto/ do filho que já morreu”. Arrumei o quarto dela, antes mesmo de saber que já estava morta. Talvez, no íntimo ja o soubesse.

Mas essa não é a maior dor. A saudade do filho que já morreu é a dor de todas as dores. Pensei que pudesse esconder tal dor, mas,no fundo dos olhos o brilho se apagou, e a lágrima é a dor que transborda, que afoga e sufoca. Vejo a vida de minha filha ir-se não de uma vez, mas todas as vezes que me deparo com alguma criança que teria a idade dela hoje.. Imaginar como ela estaria.. Vendo ali as outras crianças correndo, brincando é quase que impossivel..
Conto essa história sem mágoas, ódios ou rancores. Mas a angústia que sinto, ao recordar o rostinho do meu bebê e a falta que ela me faz e de como minha filha se foi tão cedo, às vezes me faz fraquejar. Porém, surpreendentemente, Deus me concede uma inexplicável força para ir em frente com a determinação de quem não se entregou à maior dor que uma mãe pode sentir.. a dor de ficar sem o seu próprio eu..

E só quem prestar muita atenção perceberá lá no fundo dos meus olhos, a dor, aquela, maior de todas.

A da mãe-órfã."

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

Eu amo você











♥ Antes de te conhecer eu já te amava

Quando engravidei, foi aquele susto (:-o) Na verdade eu já sabia... toda mulher saber quando acontece, mas quando a enfermeira me disse: "Parabéns mamãe, você está grávida", nossa... parece que o chão sumiu! Foi no dia 08 de março, nada mais nada menos que O DIA INTERNACIONAL DAS MULHERES!

Não sei exatamente o que senti naquela hora. Ser mãe... ter uma criança se formando dentro de mim... um bebê, que era meu.  Acho que fiquei preocupada.
Não preocupada pelo o que os outros iriam falar ou pensar, mas preocupada por estar desempregada, por morar "ainda" na casa dos meus pais, pela responsabilidade... enfim, agora eu era mãe, ou iria me tornar uma.

Essa preocupação passou logo, porque alguma coisa dentro de mim já tinha se transformado. Agora era só esperar os meses passarem, para ter aquele pequeno ser nos meus braços!

Um dia, uma amiga minha (que tinha tido uma filha a pouco tempo) me disse que o amor pelo filho só aparecia depois do nascimento, que não era assim na hora. Eu descordo...
Hoje, eu posso falar pra você minha filha, antes de te conhecer eu já te amava!

Você não foi planejada para aquele momento da minha vida, mas você foi muito desejada, e como foi. Desde o inicio já bateu aquela anciedade de saber como você seria, com quem iria parecer, anciedade de ter você nos braços, de te amamentar... Era o meu amor por você desabrochando!

Os meses foram passando, e descobri que você não seria mais o meu Pedrinho... e sim uma princesinha. O seu ultrasom mostrou que você era uma linda menina. Dai o problema... você ainda não tinha nome. Demorou para eu escolher um, mas de repende, assim de uma hora para a outra, sem razão alguma me surgiu o nome MANUELA... nome que mais tarde descobri significar: Deus está conosco!

Pronto, agora era começar a comprar suas roupinhas, seu enxoval, etc. Passaram-se os meses e você "teve" que nascer... de sete meses, e aí tudo aconteceu.
Se eu já te amava, passei a te amar ainda mais. Você estava ali, tão perto de mim, tão debilitada devido sua saúde fraca, precisando de mim... e eu não podia fazer nada, alé de rezar. A vontade de ter você comigo era tanta... eu queria tanto de pegar no colo, te beijar, cuidar de você, assim como toda mãe faz, e mais ainda!

Os dias se passaram e meu amor por você multiplicava-se, só que um dia a mais contigo já era um dia a menos sem você!
Você se foi depois de dezoito dias de luta... tentando sobreviver, só que Deus te quis do lado dele. Sua missão aqui estava cumprida e você se tornou mais um anjinho puro de Deus!

O meu amor por você permanece aqui... incondicional, irretocavel!
O que fazer com tanto amor? Esse amor, que é só seu, vai estar sempre aqui dentro de mim, adormecido, para que o dia em que nos reencontrarmos eu possa dá-lo à você, da forma que queria ter te dado, mas não pude.

Antes de te conhecer eu já te amava... e vou continuar amando, pro resto da minha vida, e além da vida!

terça-feira, 5 de outubro de 2010

05 de Outubro de 2010... hoje faz um mês!

Hoje faz um mês que você se foi meu anjinho, e me deixou aqui neste mundo, tão sozinha...
Foi num domingo, de manhãzinha, que recebi a noticia mais triste da minha vida. Deus havia te levado com ele, para ser mais um anjinho no céu... mais uma estrelinha que agora brilha lá em cima.

Pra mim, hoje será um dia ainda mais triste!
Não sei como estou conseguindo suportar a sua falta, que é enorme. O vazio dentro do meu peito aumenta cada vez mais, me sinto muito sozinha sem você.
Se você estivesse comigo, não precisaria de mais nada, não precisaria de mais ninguém porque só você me bastaria para viver... mas sem você, pra que viver?

Não sei porque existir, sem você comigo. Não tem sentido algum, a vida não tem mais brilho, não tem mais alegria no meu dia, não faz sentido uma mãe perder seu filho já que a lógica seria os pais irem primeiro, e a perda precoce é ainda pior... pior porque não houve tempo para te dar aquilo que ainda está dentro de mim, guardado, e que era todo seu... o grande amor que sinto por você!

Estou me tornando uma pessoa cada vez mais triste, apesar de não aparentar por fora, mas por dentro a ferida não cicatriza, a dor aumenta, o peito sangra.

Queria estar ao seu lado, te acariciando, te beijando, fazendo tudo que sempre desejei fazer desde que você começou a crescer dentro de mim. Agora, não tenho mais você dentro de mim, não te tenho em meus braços. Só pude te pegar somente uma única vez... sentir seu corpinho tão pequeno, frágil... mas que já estava sem vida.

Não pude sentir a sua pele, não pude te dar o meu calor, o meu peito para te alimentar... isso dói tanto! Parece que me tiraram um pedaço do corpo, pq a impressão é que sempre está faltando algo. Sou uma pessoa pela metade...

Como eu sinto sua falta... não sei expressar meu sentimento, minha dor, minhas tristezas e desilusões. Às vezes bate um sentimento de revolta tão grande, que dá vontade de sumir neste mundo, desaparecer.

Mas só o que posso fazer, ou pelo menos tentar... é continuar seguindo em frente. Tentar recomeçar tudo de novo. Tentar ocupar minha mente... esta que as vezes me sufoca com tantos pensamentos. Tentar...

Faço isso não por mim, mas por você minha querida filha Manuela. É só por você que vou continuar minha vida, porque não tenho mais vontade de mais nada.

EU TE AMO MANUELA... TE AMO TANTO QUE NEM SEI EXPLICAR, NEM FALAR, SÓ SENTIR!



domingo, 3 de outubro de 2010

ღღEU VOU SENTIR FALTA...ღღ


"...de quando nós duas éramos apenas uma;
...de ser elogiada todo dia;
...de sentir minha barriga mexer;
...de ganhar comida de presente;
...de tomar dois sorvetes sem culpa;
...de quando minha barriga não chamar mais atenção;
...de ser bajulada o tempo todo;
...de escutar meu som favorito, a batida do teu coraçãozinho;
...de esperar anciosa pelas ecografias;
...de ser chamada de barriguda e ficar feliz;
...de ler mil artigos sobre o mesmo assunto: a gravidez;
...de ficar curiosa imaginando como será seu rostinho e com quem será parecida;
...de desdobrar suas roupinhas e guardar todas de novo;
...de fazer xixi a cada hora, inclusive de madrugada;
...de me sentir cansada, com dor nas costas;
...de me pesar e ficar feliz com cada quilinho a mais;"

VOU SENTIR FALTA DE TUDO ISSO...E MAIS UM POUCO AINDA! VOU SENTIR FALTA DE VOCÊ, QUE NÃO ESTÁ MAIS COMIGO, AQUI NO MEU COLO. ME CONFORTO EM SUAS LEMBRAÇAS E NA IMENSA SAUDADE QUE SINTO DE VOCÊ.
Pra sempre vou te amar, minha querida filha Manuela...

Pegadas na Areia

"Sempre percebi que enquanto eu caminhava pela praia,
ao invés de apenas um par de pegadas apareciam duas,
as minhas e as do Senhor. Minha vida inteira foi assim.
Até que em um momento de desespero, angustia e sofrimento,
olhava para trás e via apenas um par de pegadas na areia.
Comecei a questionar Deus: "Por que o Senhor me abandonou quando mais preciso de ti?
Disse que sempre estarias comigo, me guiando e me ajudando nos momentos dificeis, e agora que mais preciso, tu me abandonas!".
Nessa mesma hora Deus me disse: "Estais enganada, pois estou contigo agora mais do que nunca...
Estas pegadas não são tuas, e sim minhas, pois quando te vi caindo te peguei em meus braços".

Ainda dói... até quando?

É tão estranho estar só, sem você!
Foram meses a te esperar, a imaginar como você seria,
A fazer planos, a desejar ter você em meus braços.

Já faz quase um mês, mas parece que estou sem você a anos...
Talves seja porque estivemos juntas por tão pouco tempo e agora essa separação,
Esse vazio imenso, sem fim.

Olho suas fotos, seus videos
Sinto um desejo tão grande de estar ao seu lado
O coração treme, dói... sangra.

As vezes quero que essa dor passe, que acabe logo
Mas ao mesmo tempo me apego nesta dor,
Porque parece que é o unico jeito de ter você por perto.

Filha, eu te amo
Nada do que eu fazer ou fizer vai acalmar meu coração
Pois você me faz muita falta.

Você é e sempre será única na minha vida!
Minha dor nunca vai passar
Mas para sempre você será um anjinho... o meu anjinho.

Você está com Deus,
não poderia estar melhor...

Olhe pela mamãe, que precisa muito de você, mesmo que distante!
EU TE AMO

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Amor de mãe

Não tem sido fácil...

Autor Desconhecido - retirado do site "Paixão e Amor"


"É, não tem sido fácil...
Ficar tanto tempo longe de você.

A presença em meu coração

De lembranças tão fortes,
Simplesmente não permite que eu tenha paz.

Ter você comigo foi algo forte demais
E eu não consigo conformar-me com a tua falta.
Não quero pensar em causas,
Nos motivos que levaram você de mim
E muito menos no tempo em que estamos separados.

Pensar nisto, é talvez tentar medir
A dimensão de minha saudade e isto é impossível.
Você teve os seus motivos para ir e eu tive os meus para ficar.
Penso então que temos nossas razões
para estarmos longe um do outro.

Olha, tenho tentado contabilizar as perdas.
O que você tirou de mim e levou embora junto com você?
Qual a parte de mim, que você escolheu
Para machucar com a saudade?
Realmente não sei.

O tempo talvez responda, o tempo talvez cure,
O tempo talvez apague...
Tudo o que sei é que...

Sinto saudades de você..."